Menu

Alien: O Oitavo Passageiro (Novelização)

Adaptação de mídias é algo corriqueiro no mercado e sempre que um produto se mostra promissor a tendência é a extrapolação desse para outros segmentos, com intuito de aumentar as vendas e gerar mais lucros. Muitas vezes esse tipo de produto é ignóbil e forçado, gerando verdadeiras porcarias e de vez enquanto os produtos formados são bons a ponto de competir com/ou expandir o original.

Um tipo de transposição de mídias muito comum é a adaptação de obras literárias para o cinema. Extremamente aceitável uma vez que o tipo de comunicação que se dá com um livro: através de palavras e da imaginação; é bem diferente da abordada no cinema: focada em imagens formadas e trilha sonora, entregando pronta a obra para o consumidor (apesar de no geral render materiais ruins, não são poucas as obras cinematográficas que superam suas contrapartes literárias). Porém o inverso existe, embora não seja um tipo de mercado muito comum: a novelização de obras cinematográficas em romances.

Expandir marcas para o mundo da literatura não é incomum, atualmente isso tem gerado um grande mercado com os livros de Star Wars – que contam histórias paralelas aos eventos do filme – e diversos livros baseados em jogos. O problema é que escrever um livro exige dedicação do escritor, cada livro carrega um pouco da alma do seu autor e essas obras feitas por freelancers (mesmo que profissionais) geram na maioria das vezes livros insípidos e insossos – pelo menos os romances que li de Uncharted, Battlefield e Assassin Creed são verdadeiras porcarias. Novelizar um filme é literalmente transcrevê-lo em sua integra para o papel. Livros tendem a ser mais completos e mais amplos que os filmes – afinal não obedecem um prazo – já novelizações são basicamente a mesma história que você já assistiu, agora para ser lida. Apesar da prática não muito comum existem diversas novelizações no mercado – e no geral são bem chatas de se ler, uma vez que você perde os sentidos de comunicação usados no cinema – mas raramente, uma ou outra, acaba conseguindo se sobressair ese tornar uma boa obra. É o caso de Alien.

 

alien-isolation-dev-hiring-for-multi-platform-aaa_xpss.1920

 

Escrito por Alan Dean Foster – escritor de ficção científica norte americano que tem em seu currículo diversas obras sobre o assunto, várias adaptações e algumas novelizações – Alien (ou O Oitavo Passageiro em algumas edições) conta a história da Nostromo e de seus 7 tripulantes, que em missão se deparam com um estranho planeta onde existem ruínas de uma possível civilização alienígena. Ao explorar esse planeta, acabam trazendo para dentro da nave um oitavo passageiro… Todos já conhecem o enredo e o livro é uma adaptação fiel à obra hollywoodiana, nesse caso porque então ler o livro se você tem o filme em mãos?

sevastopol-wide-image.0

Apesar de contar a mesma história, Alan Dean Foster conseguiu criar uma atmosfera própria para o romance. Aqui não temos Ripley como a personagem principal (como no cinema), o foco se dá em todos os tripulantes, onde cada um desempenha seu papel e é importante para a trama sem ninguém se sobressair.  A descrição dos cenários – principalmente da civilização alienígena – e dos acontecimentos, são excelentes e detalhes como: a preocupação com o “comportamento” do sangue ácido dentro de uma nave pressurizada e a biologia do alienígena; são detalhes descartados no filme, mas que contribuem bastante com a qualidade do romance. Os personagens são muito bem construídos (enquanto no filme isso é feito basicamente com Ripley) e a obra é entremeada com pensamentos e aspirações dos tripulantes, entremeada com diálogos sagazes.

O livro é curto (pouco mais de 200 páginas) e mesmo assim é agradável e consegue emular com qualidade todo o terror espacial criado por Ridley Scott. Agora em 2015 o livro retorna as prateleiras do Brasil, lançado pela Aleph – o simples fato de ser publicado pela Aleph, que tem focado fielmente em obras clássicas de ficção científica e é na atualidade uma das melhores editoras do país, mostra que o romance é uma obra ímpar – e é sim uma excelente pedida para você ter na sua coleção. Qual dos dois eu prefiro? Livro ou romance? Fica ao seu cargo escolher, não vai sair perdendo!

 

 

Italo
Graduando em Biologia pelo amor às variadas formas de vida e suas estratégias de sobrevivência, tenho prazeres simples como ouvir a chuva ou observar o céu noturno. Fã de música, filmes e jogos em geral, minhas maiores viagens são pelas folhas de um bom livro.

Parceiros

Video em Destaque

Nintendo Switch