Menu

Doctor Who 9° Temporada – Um Doutor descolado e confortável em sua nova encarnação (Pode conter Spoilers)

Na Oitava temporada tínhamos um Doutor recém-regenerado, cheio de perguntas (“Eu sou um bom homem?” e “Porque esse rosto? Justamente esse rosto?”). Após o especial de natal, tivemos um 12° Doutor mais leve já no primeiro episódio da 9° temporada, onde ele está aproveitando a vida na Inglaterra do seculo 12, vivendo entre humanos, tocando guitarra em cima de um tanque e cavando buracos. Essa temporada foi de consolidação da nova regeneração, ele encontrou seu lugar no universo e entendeu o porque de existir. Voltou mais bem humorado até :D.

Mas nem tudo foram flores, ao encontrar o criador dos Daleks, Davros, a imortal Ashildr e a revelação da existência da profecia do Hibrido –  um ser formado por duas raças guerreiras (supostamente metade Senhor do Tempo, metade Dalek) que pisaria sobre as ruínas de Gallifrey – e que essa profecia está prestes a se concretizar. Além disso, o Doutor começou a ficar mais cuidadoso com sua amiga Clara, que após a morte de seu namorado na 8° temporada, aparentemente não liga muito para os perigos de viajar com o Doutor, e isso ligado a confiança que ela tinha (olha o verbo no passado), acabou seu maior pecado.

Davros, o criador dos Daleks, no fim de sua vida.

Partindo do Princípio. O Doutor se depara com com um velho inimigo Davros, que está morrendo e pede ajuda ao Doutor, depois de um episódio inteiro de apenas conversa, o Doutor cai em uma armadilha e doa parte de sua energia de regeneração para o vilão. Dando origem ao conceito do Hibrido. O Hibrido é parte do plot da temporada, com o passar dos episódios, vemos a origem de vários seres compostos por duas raças diferentes. Maisie William interpreta Ashildr, uma garota de um vilarejo Viking do Seculo 9 que morre ajudando o Doutor, mas ressuscita com a ajuda de um aparelho Alien, que permite que ela se recupere de qualquer adversidade, podendo somente morrer assassinada ou cometendo suicídio. Ela se torna uma Hibrido que vive para sempre e vai ser uma pedra no sapato do Doutor. Mas o que seria o hibrido que tanto aterroriza o Doutor?

Desde o retorno da série em 2005, sempre tivemos um plot da temporada sendo jogado nos episódios, muitas vezes você nem percebia, por exemplo, Bad Wolf na primeira temporada, Harry Saxon na terceira temporada, planetas desaparecidos na Quarta temporada, a rachadura na parede da realidade na quinta temporada e, mais recentemente, o Paraíso na Oitava temporada, mas dessa vez o plot era muito mais profundo, pois envolvia o retorno do planeta natal do Doutor, ele estava cada vez mais próximo de sua casa, mas ele não contava que os Senhores do Tempo poderiam manipula-lo e que isso poderia custar a vida de sua melhor amiga.

Foi uma temporada com altos e baixos (mais altos que baixos).  Ponto Alto: Se fosse para eu destacar um, seria o Episódio 8, “Zygon Inversion”, onde o Doutor orquestra uma resolução para a guerra Humanos/Zygons, sem armas, sem mortes, apenas com uma conversa entre representantes dos dois lados, uma conversa tensa, claro.. mas ainda sim apenas uma conversa. Porque esse episódio em especial? Porque ele foi transmitido uma semana antes dos atentados a França. Do que se tratava a Guerra Humanos/Zygons? Exatamente sobre intolerância. Os Zygons, que são criaturas transmorfas, queriam viver livres, em suas formas verdadeiras, mas os humanos não tolerariam seres com a aparência deles, então uma pequena parcela dos Zygons (o restante estavam satisfeitos da forma que viviam) resolveram se rebelar contra os humanos, elaborando uma verdadeira invasão, com direito a execução filmada e transmitida para as TVs do mundo todo (oi? Estado Islâmico? França??). Uma perfeita analogia sobre a atual situação do Oriente Médio, Estado Islâmico e sua cruzada mundo a fora. Outro ponto alto e o episódio “Heaven Sent”, onde o ator Peter Capaldi, o Doutor, está sozinho grande parte do episódio, quase um monologo. No episódio, o Doutor luta contra os seus maiores medos em uma especie de câmara de tortura, onde ele e obrigado a revelar todos os seus segredos, esperando no final ter uma grande recompensa.

Tecnicamente falando, foi uma das temporadas com menos tosqueiras da nova série. A fotografia estava muito bonita, efeitos especiais ótimos, tudo muito bonito de se ver, a Curva ascendente de investimentos não para. As atuações não ficam atrás, como dito antes, Peter Capaldi é um show a parte, o experiente ator nos entrega um Doutor pragmático na oitava temporada, mas na nona o ator está bastante a vontade no papel, com um Doutor igualmente a vontade, procurando equilibrar os momentos de tensão, com carinho e bom humor. O momento em que a personagem Ashildr apronta com o Doutor e a Clara, Peter Capaldi nos entrega um momento de fúria contida que eu jamais vi em nenhum Doutor anterior. E Fantástico! Para mim, ele é o ponto mais alto desta temporada, deem um premio para esse homem!!

Doutor e a Prefeita Me. O quote marcante da temporada, para mim: “Você descobrirá que o Universo é pequeno quando eu estou zangado com você”

Jenna Coleman continuou fazendo o que fazia antes, ou seja, fez a Clara Oswald como uma mulher justa, forte e um pouco inconsequente. Mas no episódio “Zygon Inversion”, onde ela interpretou duas personagens (Clara e  a Zygon Bonnie) ela se destacou como uma pessoa fria e maligna. Além dos dois principais, Michelle Gomez como a Senhora do Tempo maluca Missy, em uma pequena participação nos dois primeiros episódios, e Maisie Williams como a imortal Ashildr/Me/Mayor Me. Uma personagem importante no desfecho da temporada.

Cara….

Mas sempre tem os pontos baixos Na verdade, ao meu ver, apenas um ponto baixo.. ridiculamente baixo… o Episódio 9, “Sleep No More”. Escrito por Mark Gatiss, e um episódio fraco, que tenta emular uma atmosfera de terror, mas sem nenhuma profundidade, não causa medo e não faz sentido!! OS MONSTROS SÃO AS REMELAS DOS OLHOS!! CARALHO!!!! ISSO NEM E SPOILER!! E mais um serviço publico!! Pulem o 9° episodio, não influencia no andamento e entendimento da temporada, podem pular tranquilamente! saporra de episódio não serve pra nada! Mas Mark Gatiss, apesar de escrever essa atrocidade ( entre outras dentro da Série, não e o primeiro episódio que ele escreve), ele manda bem nos roteiros da série Sherlock, do mesmo Showrunner de Doctor Who, Steven Moffat. Além disso, também considerei a insistência do Moffat em dar um final feliz à alguns personagens meio broxante, explico [Spoilers]:Após o 10° episodio, “Face the Raven”, onde um fato importante e um final digno e satisfatório da personagem Clara, tivemos em “Heaven Sent”, o retorno de seu Planeta Natal, Gallifrey, que se encontrava perdido desde o especial de 50 Anos, em 2013, todos aguardavam ansiosamente um desfecho centrado em Gallifrey, mas o que vimos foi o Doutor novamente tomando atitudes sem pensar para salvar sua melhor amiga, deixando toda a possível história no planeta de lado e o plot do Hibrido acabou sendo apenas uma pequena conversa no final, não ficando claro quem é o Hibrido e o porque dele ser tão perigoso. Isso enfureceu uma galera, que já tinha dado um ponto final na personagem e queria de fato ver o retorno do Planeta, além da resolução do Hibrido. [Fim dos Spoiler]

Mesmo com os altos e baixos,essa temporada ainda se consolidou como a melhor da nova Serie de Doctor Who, o nível dos roteiros dos episódios está lá no alto, atuações memoráveis e histórias cativantes. E ainda nos deixou ganchos para novas histórias, temos o Doutor, a TARDIS e toda uma nova mitologia a ser explorada na próxima temporada (ainda não confirmada, mas tudo leva a crer que em breve teremos a confirmação), com uma novos amigos, além da expectativa se Capaldi continuara ou não da 11° temporada em diante. Antes disso, temos o tradicional especial de Natal do Doutor, onde reencontraremos sua esposa, River Song. Então, até lá!

Flw, Vlw

 

 

Joseph
Amante de HQs e de seus derivados, acho o Batman um Bucha e que o melhor Coringa de TODOS OS TEMPOS e o Cesar Romero. Eu gosto do Superman casando o Jimmy Olsen com uma gorila mal humorada.
  • Cara, muito bom o seu post! Realmente essa temporada foi fantástica, tem discussões em relação a qual foi o melhor episódio dessa temporada, a internet gostou demais do penúltimo, mas eu não sei se seria o meu favorito. Agora sobre o pior episódio, esse que você mencionou é inacreditável. Não tem por que um episódio tão ruim, PQP da até raiva. Podem pular com certeza!

    Agora uma coisa que eu queria a sua opinião, desde algum tempo pra cá, alguns timelords andam regenerando em um novo corpo de mulher. Agora nesse ultimo episódio um comandante que eu esqueci o nome regenerou e falou que odiava o corpo de homem não sabia como que eles aguentavam. Você acha que isso pode ser uma especie de preparação para o próximo Doutor ser uma mulher? Eu acho que sim!

    Gostei muito dessa temporada, foi a melhor serie que eu assisti nessa temporada, talvez a que esteja chegando mais perto seja homeland.

    P.S: Poderiam pensar em mudar os comentários do site para usar o excelente disqus? Hehehe

    • Joseph

      Cara, valeu pelo comentário.

      Você já viu um especial que se chama “The Curse of the Fatal Death”?Um Comic Relaf gravado em 1999, também foi escrito pelo Steven Moffat. Lá, o Doutor esta na nona regeneração, interpretada pelo Rowan Atkinson (o Mr. Bean), ele vai se regenerando ate chegar na 13° e ultima regeneração, que e uma Mulher. Nos livros existe um personagem chamado o Corsário, ele também se regenera em uma mulher, ele e ate mencionado no episodio “The Doctor’s Wife” escrito pelo Neil Gaiman, tivemos a Missy, que e o Mestre e por fim a General. Todos escritos ou coordenados pelo Steven Moffat. Eu sinceramente acho que ele esta analisando a reação dos fãs a respeito de uma regeneração deste porte. Sim, acho perfeitamente possível uma Doctor futuramente. Acho valido e gostaria de ver o resultado. Antes da escolha do Peter Capaldi, a atriz Helen Mirren se mostrou interessada em interpretar o personagem, nem que fosse por uma temporada.

      Eu realmente acredito que estamos perto de ver umA Doctor, ou negro (o General era um Homem branco e voltou a ser uma Mulher negra).

      Quanto ao disqus.. isso e com o Fabrício.

Parceiros

Video em Destaque

Nintendo Switch