Menu

Dragon Ball Super – A Saga de Goku Black/Trunks do Futuro (com Spoilers)

Ok. Aqui não é o Papo Otaku, mas eu preciso falar sobre DRAGON BALL SUPER!

thumb-1920-709897

Não sou otaku, nem sou muito fã da cultura japonesa. Tenho sim meus animes favoritos, mas no geral não me considero otaku em nenhum nível. Mas é seguro dizer que a franquia Dragon Ball marcou a minha vida (e acredito que a vida de muitos adultos por aqui) na nossa já longínqua juventude. Akira Toriyama é um gênio que soube levar sua história de forma fantástica e finalizou ela no auge, dando um final digno para a série, mas logo após a produtora Toei Animation resolveu cagar tudo criando Dragon Ball GT que, mesmo com a supervisão de Toriyama, foi ladeira abaixo. A série inicialmente deveria ter mais de 100 episódios mas acabou somente com 64. Uma historia corrida, confusa, com escolhas contraditórias e personagens sem carisma e descaracterizados, foi o fim da franquia para os japoneses lá em 1997, curiosamente quando ainda estávamos conhecendo a historia aqui no Brasil, com a exibição do Dragon Ball clássico no SBT.

Depois da famosíssima série Cavaleiros dos Zodíacos, Yu Yu Hakusho e a falência da Rede Manchete, Dragon Ball Z foi o fenômeno do momento, trazido pela Band e Cartoon Network (aliás, hoje Cavaleiros dos Zodíacos e DBZ hoje é exibida na Rede Brasil, vale a pena a conferida). Durante 2 anos, os horários das 15 horas na Band e 18:30 na Cartoon eram sagrados para a galera que curtia o Anime, horário onde o anime dividia espaço com Pokémon e alguns outros animes da época que eu não me lembro agora. A série acabou, Dragon Ball GT estreou mas o hype de DBZ diminuiu, a série não conseguiu mante-lo por muito tempo e, pelo menos pra mim, passou desapercebida. Mas Goku, Gohan, Vegeta e seus amigos já estavam em nossos corações, porém agora eramos órfãos. 

Em 2009, Hollywood cresceu os olhos na franquia. A FOX adquiriu os direitos e resolveu fazer a desastrosa versão Live-action da série, Dragonball Evolution. Nada se salvava naquilo e o resultado final enfureceu os fãs, a Toei e o criador da franquia. Toriyama ficou PUTO com o filme e resolveu escrever mais um capítulo na vida de seus personagens, em 2013,Dragon Ball Z: A Batalha dos Deuses. Neste filme, conhecemos Bills, o Deus da Destruição, MUITO acima do poder de qualquer um dos heróis e Whiss, treinador/babá de Bills que, segundo o Deus da Destruição, está muito acima dele próprio em nível de força. Com o sucesso deste filme, em 2015, foi lançado uma sequência, “O Renascimento de Freeza”, que trouxe outra transformação de Super Saiyajin e o retorno do maior vilão da franquia, até então, Freeza. Era ali plantada a semente da nova fase de Son Goku e seus amigos no imaginário coletivo.

 

Dragon Ball SUPER Nasce!

Dragon Ball Super foi lançado em Junho de 2015. Serei sincero: Se você viu “A Batalha dos Deuses” e o “O Renascimento de Freeza” você pode pular para o episodio 28 da série. Até ali, a série é um remake que detalha esses dois filmes. Com poucas alterações e sem muitas informações novas, o inicio é até arrastado. Eu acompanhei bravamente, encarando gráficos ruins (episodio 5) e história repetida exatamente para ver se eu pegaria algo novo, mas nada de muito importante. Do episodio 28 em diante, aconteceu o Torneio dos Universos 6 e 7. Conhecemos alguns personagens novos bastante interessantes como assassino Hitto, o bondoso Saiyajin Cabba, o Deus da Destruição Champa e Vados, Irmã de Whiss. Aqui a coisa começou a mudar de figura. As lutas estavam mais coreografadas, gráficos bem melhores, trilha sonora bacana, foi aqui que Dragon Ball Super começou a melhorar.

Mas a cereja do bolo veio depois deste torneio: A Saga de Goku Black/Trunks.

Pausa para um aviso: Daqui em diante, não pouparei Spoilers. Se não quiser saber de grandes detalhes da saga, pare por aqui. 

 

 

 

 

 

 

 

Ok. Continuemos.

 

A Saga de Goku Black/Trunks é a maior e mais complexa saga de Dragon Ball  Super até agora. 

Com um trama misteriosa, complexa (muito complexa mesmo!!) e cheia de referências e reviravoltas, trouxe muitas lembranças daquele período em que assistíamos Dragon Ball Z, 16 anos atrás. 

A história começa com o futuro de Trunks sendo novamente atacado por uma ameaça até então desconhecida. Logo nessa apresentação ficamos sabendo que a grande ameaça é uma versão maligna do protagonista da série: Son Goku. Trunks e Bulma do futuro (que é desintegrada pelo vilão logo de cara) o apelida de Black Goku ( ou Burakku Goku, em Japonês.. hehehehe…. é engraçado isso). No futuro, Trunks conta com a ajuda da resistência inútil dos humanos, e principalmente de Mai. Você deve se lembrar dela na série clássica, ela era a ajudante do primeiro vilãozinho da série, o Imperador Pilaf (também presente em DBS), que antes da saga de Cell se tornaram crianças devido a um desejo para as Esferas do Dragão. Depois de uma dura primeira batalha contra Black, Trunks mal consegue chegar vivo no passado, reencontra seus amigos, treina com Vegeta, reencontra Gohan como pai de família, casado e com filha (sim a chata da Pan existe, aliás, esse novo status quo do Gohan é motivo de controvérsia entre os “fãs” do personagem), conhece sua versão mais nova, e etc.. Goku e Vegeta se voluntariam a ir para o futuro após Black ir para o passado e ter uma breve batalha com Goku. Whiss e Bills tem um palpite de qual a verdadeira identidade do novo vilão: Zamasu, um atormentado e egocêntrico ex-senhor Kaioh do Universo 10 e aprendiz de Kaioshin

Os heróis então vão para o futuro, Goku e Vegeta apanham muito de Black, que alcançou um nível de Super Saiyajin muito acima do nível dos heróis (que era o Blue, muito acima de qualquer nível já alcançado pelos heróis), o controverso Super Saiyajin Rosé. De inicio,os fãs detestaram essa transformação, mas ela se mostrou muito forte e visualmente é belíssima. Nada visto anteriormente na franquia. Ao retornarem para o passado com a ajuda de Mai, Goku se junta a Bills, Whiss e Kaioshin para irem ao universo 10 e Bills destrói Zamasu, depois de chegarem a conclusão que o aprendiz tem ligação com Black, numa cena que ficou para a história (HAKAI!) e serviu para mostrar que realmente Bills está vários patamares acima dos heróis. 

A poderosa e belíssima transformação de Goku Black. “Ain…. preferia que o cabelo fosse branco!” DESGRAÇADO, Fanboy

Até então, o que se sabia era que Black era muito poderoso, que Zamasu era frio, calculista, egocêntrico e tinha intenções destruidoras, mas a identidade de Black ainda era um mistério. Varias teorias de fãs foram criadas como, por exemplo, o Goku vir de um universo onde nunca bateu a cabeça, ou que Black era o corpo do Goku que morreu da doença no coração e, a mais escrota de todas, que Black era uma versão maligna do fofo Goten. Os heróis treinaram mais um pouco, voltaram para o futuro e enfrentaram desta vez Black e Zamasu, que a essa altura já era imortal.

Resultado: Outra surra.

Retornaram para o passado. Nesse momento da saga, já estava encaminhado o seu desfecho. Foi dado muito destaque para Vegeta, Bulma e, principalmente, Trunks. Vegeta foi treinar na sala do tempo e ficou mais poderoso, Bulma resolveu acompanhar novamente os heróis no futuro e Trunks passava por alguns momentos de desesperança, sem saber se todos esses esforços valeriam a pena. Goku, por sua vez, aprendeu com Mestre Kame, o nostálgico Mafuba, Técnica de selamento de demônios criada pelo Mestre Mutaito, mestre que lutou contra Piccolo Daimaoh décadas antes de Goku iniciar a sua saga. Os heróis estavam prontos para a batalha final contra Zamasu e Black. Ao chegarem no futuro, eles descobrem a verdadeira identidade de Black: Zamasu do passado trocou de corpo com Goku em um paradoxo gigante e difícil de entender (sério, eu nem me dou ao trabalho de explicar, porque eu só vou confundir mais ainda, vou deixar a interpretação para vocês). 

Vegeta mostra os resultados de seu treinamento, ele SURRA Black, como se estivesse surrando seu rival, Kakarotto (-Você acha que eu vou perder a oportunidade de derrotar alguém com a sua cara?… hahahaha… MITO!) enquanto Goku luta contra Zamasu.

Zamasu em sua forma ~Dolce gusto~ chá verde

Algumas observações sobre Zamasu:

  • Sim, ele era um prodígio. Conhecedor de artes-marciais como nenhum outro Kaioh, mas fraco. Em momento algum ele conseguiu bater de frente com os heróis, chegando a ser atravessado pela espada de Trunks logo no primeiro confronto, se não fosse imortal, já tinha morrido.
  • Esse vilão em especial, deu esse trabalho todo por causa de sua imortalidade e por causa de seu aliado, Black, esse sim era poderosíssimo e só aumentava sua força em cada combate, caso contrario, ou Goku, ou Vegeta ou até mesmo Trunks, teriam derrotado ele facilmente.
  • Ele era muito eficiente na arte de fazer Chá.

Trunks, junto de Bulma e Mai, aprende o Mafuba através de um vídeo do Piccolo ensinando a técnica. Trunks consegue prender Zamasu, mas sem o selo que fora esquecido por Goku, Zamasu consegue escapar e, usando os brincos Potara, se funde ao Black, tornando-se uma ameaça ainda maior e deixando a realidade em perigo. Zamasu (apelidado pelos fãs de Gattai, que é somente uma palavra para fusão) se torna praticamente invencível, desferindo ataques em toda a humanidade que restou naquele futuro já destruído.  Os heróis então atacam o vilão, primeiro um ataque poderoso de Trunks e Vegeta com o saudoso Galick Ho (aliás, cena linda de Pai e filho atacando o vilão, nos levando diretamente para a saga de Cell, onde Gohan e Goku dão o golpe final no vilão) e depois um Mega Kame Hame Ha de Goku, que quebrou os dois braços do herói, coisa jamais vista na série. Após estes dois ataques, Zamasu finalmente caí, deformado e puto da vida, mas ainda sim muito poderoso. Goku sugere então a Vegeta que eles também façam a fusão com os brincos mas, como sempre, Vegeta é relutante, até que temos uma informação nova: Os brincos também tem um tempo limite, mas somente para humanos. Se Kaiohshin faz a fusão com outro alguém, a fusão é eterna, mas humanos tem um prazo de uma hora para o fim da fusão. Isso explica porque os heróis se separaram na saga de Boo após serem absorvidos pelo vilão, dando um fim a uma duvida que durou quase duas décadas. Vegeta, após saber que poderia se separar, aceita e surge então o mito, VEGETTO. 

15027547_1146234005432213_8812941322802113127_n

Perguntinha para os fanboys.

Vegetto HUMILHA Zamasu, com golpes rápidos, técnicas novas e muita zoeira (– Você ta chorando??). Zamasu, após se fundir com o corpo mortal de Black, comprometeu o estado de sua imortalidade reduzindo-a, aparentemente, a somente uma regeneração mega-foda. Até que a fusão de Vegetto acaba (devido ao excesso de energia ao utilizar o Super Saiyajin Blue o tempo da fusão foi drasticamente reduzido), e eles ficam em apuros novamente. Mas surge Trunks, que se mostra um copião de primeira, já sabia o Masenko (técnica do Gohan) Kame Hame Ha, Final Flash e Galick Ho (técnicas do seu pai) e copia uma técnica do Zamasu, a espada de Ki, e recupera sua espada salvando Goku e Vegeta da morte certa.

Trunks, com sua espada com toda a sua energia e esperança, salva seu Pai e Goku….

Aqui fica algumas considerações:

  • Zamasu e Black atribuíam seu ódio a Humanidade ao Trunks, uma vez que era proibido até para os Deuses viajarem no tempo e Trunks já havia feito isso varias vezes (5 pelas minhas contas), por isso seu futuro era o ponto Zero dos ataques da dupla de vilões.
  • Era o seu futuro que estava em jogo, o presente em momento algum na série esteve em perigo, mesmo com a ameaça de Bills e Freeza, então o protagonista da saga era Trunks. Goku e Vegeta estavam lá apenas para ajudar. Nada mais justo que ele, o guerreiro incansável que desde os 14 anos não para de batalhar SOZINHO contra ameaças, acabar com mais essa ameaça.
  • Nesta saga foi mostrada que Trunks teve o mesmo treinamento de Gohan no Planeta dos Kaioshin, só não quebrou a espada Z, não tendo assim todo o seu potencial liberado pelo Ro Kaioshin, como aconteceu com Gohan. E derrotou Babidi e Dabura, SOZINHO! O moleque é foda!!
  • Coloca na conta do garoto: Freeza, Rei Cold (no presente), Androide 17, Androide 18, Cell na primeira forma (todos em seu futuro distópico), Babidi, Dabura…

Trunks bate de frente com um enlouquecido Zamasu, até que sua força de vontade e esperança começa a reunir espontaneamente a energia das pessoas ainda vivas, da natureza do planeta Terra em geral e cria uma especie de Genki Dama (será que ele copiou mais uma??), Trunks se funde à essa energia e desfere um golpe final no vilão, dividindo-o em dois (tirando proveito da vantagem da imortalidade bugada de Zamasu) e aparentemente dando um fim na saga.

… e enfim, ele acabou com a ameaça. Colocando mais um em sua conta. O moleque é foda.

Esse episódio, de número 66(hoje a série já ultrapassou a “antecessora” DBGT) “A batalha final! O poder milagroso de um guerreiro incansável”, foi ao ar no dia 13 de Novembro no Japão, e trouxe muita controvérsia entre os fãs da saga. Muitos achavam que “O guerreiro incansável” era Vegetto, mas no fim sempre foi o Trunks. Alguns, fãs de Vegetto acharam ruim o fato dele não ter o merecido destaque na derrota do vilão. Mas desde o inicio da saga, a história foi se desenhando para mostrar Trunks como aquele que daria um fim no vilão. E vocês sabem, quando “fãs” não gostam de alguma coisa no seu programa favorito eles descem a lenha no que foi mostrado. Particularmente, achei sim o aparecimento de Vegetto com pouco destaque, mas isso não é motivo para tanto estardalhaço em cima do final mostrado até aqui. Acredito que a intenção desde o inicio foi essa, mostrar o rapaz como protagonista da Saga, o que de fato se confirmou no desfecho final. Entendo a frustração da galera, mas se assistirem com um olhar mais cuidadoso e menos ~fanboy~, o pessoal pode ver claramente que tudo se encaminhava para isso. 

Eu gostei do final, gostei do tão criticado ~protagonismo~ (palavra favorita do fandom quando se referem ao Goku) de Trunks, mas em termos concordo que o personagem Vegetto merecia um destaque um pouco maior. No geral, Dragon Ball Super: A Saga de Black, era na verdade a Saga de TRUNKS e isso ficou claro com desfecho da Saga, somente os olhares mais desatentos não aceitam isso. Os gráficos estavam lindos, a trilha sonora não perde em nada para as trilhas antigas (esse aspecto de Dragon Ball Super foi totalmente reformulado). Se fosse para dar uma nota para a saga, ganharia facilmente uma nota 9 (ou 4 flechas), perdendo somente no quesito “tempo de tela do Vegetto” porque essa saga FOI BOA DEMAIS!!!

Agora é esperar a nova saga que deve se iniciar nos próximos episódios. Foi prometido um torneio envolvendo todos os 12 universos, teoricamente temos mais 34 episódios até o fim da serie, mas acredito que com o sucesso da Saga de Trunks, podemos ter muito mais episódios nos próximos anos. 

 

Sim, é a SAGA DE TRUNKS! Valeu moleque!!!

Flw! Vlw!!!

Chora não Zamasu, no inferno vai ter chá pra você fazer..

 

Flecha-4_5

 

Joseph
Amante de HQs e de seus derivados, acho o Batman um Bucha e que o melhor Coringa de TODOS OS TEMPOS e o Cesar Romero. Eu gosto do Superman casando o Jimmy Olsen com uma gorila mal humorada.

Parceiros

Video em Destaque

Nintendo Switch