Menu

Seria Matrix um plágio?

Matrix cravou seu nome na história do cinema e gerou inúmeras polêmicas, entre elas a acusação de plágio. Isso confere? Lançado em 1999 Matrix revolucionou a indústria cinematográfica com seus efeitos especiais que iam desde tiroteios desenfreados, às icônicas cenas em slow motion. Não só de efeitos visuais vive Matrix, o filme trazia um roteiro ousado que conquistou muitos fãs ao redor do mundo. Mas a história todo mundo já sabe, o que poucos sabem é que ela não é tão original assim. Os irmãos Wachowski ganharam renome com um dos melhores filmes do cinema, mas depois não emplacaram nenhum outro grande sucesso. Porque será? Talvez a explicação seja que Matrix já existia… 
Tá, não é bem assim. Eu adoro Matrix e reconheço que o trabalho dos diretores é impecável, o fato é que Matrix é – assim como várias outras obras – uma colcha de retalhos em matéria de referências, que vão desde a cultura pop ( com sua literatura, moda, música), passando por religião (desde o conceito no qual a realidade é falsa comum em algumas religiões, até pelo Cristianismo e religiões no geral que esperam um salvador), por filosofia (o Mito da Caverna do Platão), entre várias outras fontes de conhecimento em que puderam pescar qualquer contribuição. Porém, por de trás de Matrix, existem algumas obras contribuíram irrefutavelmente para a sua existência – como Ghost In The Shell – e dessas duas merecem destaque especial: Neuromancer e Os Invísiveis
Os dois tem muitos elementos presentes em Matrix, muitos mesmo e com toda certeza serviram de base na produção do filme, pena que essas duas obras distintas, não obtiveram tanto sucesso quanto o filme. Mas elas existem, são bem sucedidas em seu meio e fazem parte da alma de Matrix.

NEUROMANCER
 
Neuromancer foi lançado em 1984 e foi o livro que originou o termo Cyberpunk. Ambientado em um mundo degradado, dominado pela tecnologia, no qual a qualidade de vida e os valores humanos são substituídos por entidades cibernéticas, megacorporações e o Cyberespaço. Neuromancer é o primeiro livro de uma trilogia conhecida como Trilogia Sprawl (megalópole formada pela união de várias cidades) do escritor William Gibson e é considerado além de predecessor do Cyberpunk, também seu melhor representante, Count Zero e Monalisa Overdrive completam a trilogia.
Apesar de não se passar num mundo completamente deturpado – até porque o mundo em Matrix está destruído… – Matrix é o maior expoente do Cyberpunk no cinema e são inúmeras as referências emprestadas de Neuromancer:


PONTOS EM COMUM
Case / Neo: Ambos são hackers decadentes, que ganham a vida cometendo pequenos delitos virtuais, até se envolverem em algo grandioso o bastante para mudarem suas vidas.
 
Molly / Trinity: Molly é uma ninja, parceira – profissional e amorosamente – de Case, é a força feminina da história. Usa lentes implantadas nas órbitas oculares, e bisturis nos dedos, extremamente letal. Trinity não é diferente – sem implantes oculares, mas adora óculos escuros –  também especializada em artes marciais – assim como Molly – Trinity é a força bruta do grupo de Neo. Parceira profissional e amorosa de Neo

 

Zion: Em Neuromancer, Zion é uma cidade localizada na órbita da Terra, um tanto quanto peculiar e bastante tecnológica, pode se dizer que ela é o contraponto de sua versão em Matrix: uma cidade situada no centro da Terra e não tão tecnológica assim. Em Matrix, Zion é a ultima cidade real.

Maelcum e Aerol / Tank e Dozer: Maelcum e Aerol são dois pilotos de nave que residem em Zion. Tank e Dozer são dois integrantes da tripulação da nave de Matrix. Visualmente os 4 são identicos: negros com rastafaris e dread locks. “Desplugados” não possuem implantes tecnológicos nos corpos e não acessam a Matrix; vivem filosofando sobre o rumo que toma a humanidade.

 

Implantes: Em Neuromancer é normal seres humanos fazerem implantes, sejam estéticos ou tecnológicos: lentes com visão noturna, relógios intra-cutâneos, e os plugs que Case usa para acessar a Matrix. Em Matrix, quase todas as pessoas possuem diversos implantes pelo corpo, também usados para acessar a Matrix. Em ambas as histórias, é possível se aprender coisas como: outros idiomas, como dirigir certo veículo, etc… através de programas de computadores; Em Neuromancer, são usados chips plugados na cabeça para aprender a falar outros idiomas por exemplo; Em Matrix, Morpheus ensina Neo a lutar Kung Fu, através de um programa direto no cérebro.

 
Matrix: Em Neuromancer, o Cyberespaço onde Case navega é a Matrix. Através de plugs e um deck, ele fica no mundo real, enquanto sua mente, navega na Matrix. Em Matrix, a Matrix é um Cyberespaço onde os seres humanos foram “obrigados” a viver. No mundo real a Matrix é a internet! Vivemos mesmo num mundo real?
 
 
OS INVISÍVEIS
Lançado em 1994, Os Invisíveis contam a história de uma “célula” integrante de um grupo anarquista e terrorista que tem como objetivo libertar a humanidade do domínio de seres transdimensionais. O que pega é que Matrix pegou conceitos de Neuromancer e inseriram em sua obra, agora com relação a Os Invisíveis é como se os Wachowski tivessem basicamente copiado o roteiro da HQ e transcrito no cinema – algumas cenas são apenas repassadas para a telona.O escritor da série ,Grant Morisson acusou os irmãos de terem plagiado a sua obra. Discussões a parte, o fato é que quem leu Os Invísiveis, encontrou muitas referências que existem no filme, na HQ. Muitos realmente vão considerar plagio, eu prefiro não opinar. Mas a impressão que se dá, é que Os Invisíveis é um Matrix Hippie.   


PONTOS EM COMUM
King Mob / Morpheus: King Mob (Os Invisíveis) e Morpheus (Matrix) são muito semelhantes entre si. Ambos lideram seus grupos, são especializados em artes marciais  e tem muitos contatos. Ambos são carecas e usam óculos. King Mob era uma lenda entre os pichadores, seu nome era conhecido por todos e sussurrados pelos cantos. Morpheus é uma lenda entre os hackers e assim como King Mob, tinha o seu nome envolto por uma aura mítica e cheia de mistério.

 

Célula: Em Os Invisíveis, o grupo principal faz parte de uma célula terrorista que tem por objetivo libertar o mundo das mãos dos seres transdimensionais. Em Matrix, Morpheus, Trinity, Neo e os outros fazem parte de células terroristas que querem livrar o mundo das mãos das máquinas.

Mundo Real / Matrix: Em Os Invisíveis, existe um mundo oculto por baixo do mundo comum. Para entrar nele, é preciso meditação e rituais mágicos. O mesmo conceito é usado na Matrix, que é na verdade uma simulação da realidade, o mundo real é todo destruído. Em Matrix, os rituais são trocados por computadores e processos de conexão.

Cidades / Humanos: Em Os Invisíveis é explicado que o mundo contraiu o vírus das grandes cidades, que tomam todo o planeta e consomem todos os recursos naturais – “…planetas cidades, orbitando estrelas mortas!”. Em Matrix é usada a mesma ideia, culpando os humanos ao invés das cidades. Um dos agentes fala para Morpheus, que os homens são o câncer da Terra, que consome tudo o que está a frente.

CONCLUSÃO

Como já disse, Matrix é uma colcha de retalhos em matéria de referência, os fãs de Os Invisíveis, vão sempre reclamar de plágio, enquanto Neuromancer reina sabendo que influenciou a obra cinematográfica. Para mim, as três obras são fantásticas e Matrix é um espécie de prêmio para todos os que gostam desse tipo de material. De qualquer forma, vale a pena conhecer os três!!!

Italo
Graduando em Biologia pelo amor às variadas formas de vida e suas estratégias de sobrevivência, tenho prazeres simples como ouvir a chuva ou observar o céu noturno. Fã de música, filmes e jogos em geral, minhas maiores viagens são pelas folhas de um bom livro.

Parceiros

Video em Destaque

Nintendo Switch