Menu

O que tornou Star Wars uma franquia tão especial?

vader2

Em dois anos, a franquia Star Wars irá comemorar o seu aniversário de 40 anos… Após todo esse tempo de franquia é inegável o seu sucesso em todo o mundo, mas o que tornou Star Wars uma franquia tão especial?

Já se passaram quase quatro décadas, desde que “Uma Nova Esperança” (1977) foi lançado nos cinemas. Se você pôde ver o que viria a ser o episódio quatro na época do seu lançamento, você está velho é uma pessoa experiente. E eu te invejo imensamente.

Star Wars é a personificação da franquia dos sonhos. O episódio quatro, embora funcione bem como um filme fechado, pavimentou a produção dos excelentes “O Império Contra Ataca” (1980) e “O Retorno de Jedi” (1983). George Lucas fez uma trilogia de sucesso muito antes das trilogias se tornarem mainstream em Hollywood. Aliás, Star Wars é talvez o maior culpado por essa tendência que vem se repetindo década após década nos cinemas.

Voltemos ao primeiro filme, pois ele é a chave para tudo isso. Uma Nova Esperança foi um filme que revolucionou o âmbito do cinema em diversas categorias. O nível dos efeitos especiais, a grandiosidade do mundo estabelecido, a trilha sonora impactante e o vilão mais icônico dos cinemas. Dito isso, o filme não é uma experiência cinematográfica extraordinária. É um ótimo filme de aventura, com a jornada do herói bem estabelecida, personagens cativantes e uma temática espacial. Um filme clássico de revolução contra o império. Se George Lucas tivesse parado por aí, nem eu nem você estaríamos aqui lembrando “daquele filme antigo chamado Guerra nas Estrelas”.

Como Star Wars veio a se tornar o que se tornou? Como um filme fechado da década 70 deu origem a uma saga bilionária que até hoje está presente em praticamente todo o ramo do entretenimento?

Yeah Star Wars World.... bitch!

Yeah Star Wars World…. bitch!

A resposta é: O mundo de Star Wars.

George Lucas pode não ser um bom diretor. Aliás, os melhores filmes da franquia, O Império Contra Ataca e O Retorno de Jedi não são dele. Inclusive, nós já vimos o que acontece quando você deixa o bom velhinho livre para dirigir os seus próprios filmes. Mas ele criou o mundo de ficção científica mais fascinante e rentável da história. É claro que a arrecadação do Episódio 4 foi a chama necessária para as continuações, afinal MONEY. Mas o mundo estabelecido no primeiro filme foi a base para a construção da memorável trilogia. A mitologia dos Jedi e sua relação com a força e os SABRES de luz, o império com suas tropas e seu imperador, as naves e a estrela da morte. Diferentes planetas, raças alienígenas, linguagens exóticas, veículos e um cabra da peste vestido com uma roupa preta sinistra, que usa a força, possui um SABRE luz vermelho e um capacete que impõe respeito.  Tudo isso no espaço. E eu mencionei que tem SABRES DE LUZ?

Acha exagero? Pense comigo, a primeira trilogia foi finalizada a mais de 30 anos atrás. No início dos anos 2000 nós recebemos de presente uma trilogia medíocre e a franquia ainda persiste firme forte. Quantas obras conseguiriam sobreviver a uma trilogia fraca como aquela e continuar no coração de tantas pessoas? Será que poderemos falar o mesmo da franquia Terminator?

O mundo de Star Wars permite uma expansão sem limites de suas fronteiras, desde que se mantenha os alicerces básicos das trama. A Força contra o Lado Escuro da Força, a democracia contra o império, Jedi contra os Sith, o bem contra o mal. São características presentes em quase todas as obras cinematográficas, mas que aqui são apresentadas com uma roupagem moderna, explorando um mundo complexo e interessante.

O mundo de Star Wars é maior que seus filmes e produtos juntos. Quando me perguntam, porque gosto tanto de Star Wars é sempre complicado responder. Não são só os filmes. Não são apenas aquelas duas (ou doze) horas de diversão sentados na poltrona ou os seus produtos que insisto em adquirir. É uma imersão coletiva em um mundo construído por quase 40 anos de imaginação.

Minha namorada que conhece pouco da série diz que é um filme de naves, espaço e sabres de luz. E é isso mesmo, mas coloque isso em um mundo rico e interessante, junto a personagens como Han Solo e Darth Vader e você terá a franquia mais duradoura dos cinemas.

E se O Despertar da Força for um filme fraco ou não corresponder às expectativas? É até bem possível considerando o hype que os fãs estão projetando para a obra, que deve ser divertida e contemplar todo o mundo construído até então. Se o episódio sete for um fracasso total, ainda assim o mundo de Star Wars continuará lá, “A long time ago in a galaxy far, far away“.

E a gente vai continuar querendo saber um pouco mais dele.

Diego Elias
Hiper-ativo para as coisas inúteis desde criança, entusiasta de games de todos os tipos, crítico barato de cinema, invicto nas partidas de Perfil na casa do Tio Elias e aspirante a cientista nas horas vagas.

Parceiros

Video em Destaque

Nintendo Switch